MORA 1 [2010-2015]

MORA [I] – ELABORAÇÃO, CONSTRUÇÃO E VERIFICAÇÃO DE UNIDADE HABITACIONAL DE BAIXO CUSTO SOB A ÓTICA DA FLEXIBILIDADE

[Institutos] Faculdade de Arquitetura e Urbanismo e Design (FAUeD) – Universidade Federal de Uberlândia
[Período] 2010 a 2014
[Financiamentos] DEMANDA UNIVERSAL FAPEMIG (Jan 2011 – Fev 2012)
PROPP/UFU (2010-2011)
PROGRAD/UFU (2010-2013)
[Resumo] Esta pesquisa trata da elaboração e construção de uma unidade habitacional MORA[1], considerando a diversidade de modos de vida da sociedade atual, seus usos e relações com o espaço habitável. O conceito principal da proposta será a flexibilidade da habitação no seu sentido mais amplo: espacial – funcional, dos elementos constitutivos, da sustentabilidade dos materiais e dos sistemas. O projeto será destinado à famílias com renda entre 3 a 5 salários mínimos. Todo o processo de elaboração do projeto partirá de Avaliação Pós-Ocupações de unidades destinadas à mesma faixa salarial na cidade de Uberlândia. Tem como objetivos específicos: (i) pesquisar habitações de interesse social na cidade de Uberlândia: principais tipologias, pesquisa de uso, apropriação, identificação, personificação dos espaços privados e coletivos através de avaliação pós-ocupações; (ii) estabelecer quadro da situação arquitetônica, nível de satisfação e grau de habitabilidade dos principais empreendimentos de interesse social da cidade; (iii) pesquisar referências projetuais e conceituais sobre a tipologia, além de levantamento geral (custo e dimensionamento dos materiais e técnicas tradicionalmente empregadas em unidades habitacionais de baixo custo.
Quando nos referimos à habitação de interesse social, a necessidade de revisão dos modelos propostos é ainda maior. Além da ausência da qualidade tecnológica e construtiva que vislumbramos nos conjuntos habitacionais espalhados por todo o Brasil, salvo raras exceções, percebemos a baixíssima qualidade espacial dos espaços ofertados. Evidencia-se a crítica sobre a qualidade do projeto de habitações de interesse social, comumente ofertado no Brasil, na medida em que, a grande maioria das soluções propostas considera precariamente as reais necessidades dos moradores, assim como seu ciclo de vida. Por outro lado, inúmeros autores abordam às transformações da sociedade nas últimas décadas e questionam de que forma e em que medida tais mudanças são contempladas na produção do espaço doméstico. Destaca-se, nesta pesquisa, a relevância da avaliação pós-ocupação como norteadora de todo o processo de elaboração de projeto de unidades destinadas às classes de rendimentos menores. Entende-se que, as informações sobre as necessidades e comportamento dos usuários moradores, identificadas através de pesquisas de APO, devem alimentar e se tornar central em todas as fases do processo de projeto.
A pesquisa em questão trata da elaboração, construção e verificação de projeto de unidade habitacional MORA[1], considerando a diversidade de modos de vida da sociedade atual, seus usos e relações com o espaço habitável. O conceito principal da proposta será a flexibilidade da habitação no seu sentido mais amplo: espacial – funcional, dos elementos constitutivos, da sustentabilidade dos materiais e dos sistemas. O projeto será destinado às famílias com renda entre3 a 5 salários mínimos. Este trabalho tem como proposição a equalização das lacunas deixadas por pesquisas anteriores sobre HIS ao contemplar além das variáveis ambientais/construtivas/econômicas/políticas comumente estudadas, também o desenho/tipo das unidades visando a flexibilidade, sendo todas desenvolvidas de forma simultânea.
Para tal estabeleceu-se uma metodologia de trabalho baseada em:
(i) pesquisa sobre habitações de interesse social na cidade de Uberlândia: principais tipologias e mapeamento da situação geográfica dos empreendimentos,
(ii) pesquisa de APO[1] em estudo de caso elencado na cidade;
(ii) pesquisa de referências projetuais e conceituais sobre a tipologia, além de levantamento geral (custo e dimensionamento dos materiais e técnicas empregadas em unidades habitacionais de baixo custo);
(iv) processo de projeto baseado nas premissas identificadas nos itens descritos anteriormente; 
(v) construção de unidade habitacional e (vi) verificação de unidade habitacional.
Pretende-se também com a pesquisa, inserir no meio acadêmico da graduação (arquitetura e urbanismo) a discussão sobre inovação tecnológica, o processo de projeto e seus componentes, assim como da relevância da avaliação pós-ocupação como realimentadora de projetos na busca por espaços de qualidade. Os resultados desta pesquisa visam contribuir para a discussão atual sobre a produção de moradias de habitação de interesse social de qualidade num momento oportuno, já que o governo federal, com o intuito de diminuir o déficit habitacional brasileiro, tem disposto o programa MINHA CASA, MINHA VIDA[2]. Desta forma, objetiva-se a previsão de disponibilização dos resultados tanto para a sociedade, por meio de divulgação das soluções propostas, quanto para gestores de políticas públicas.


[1] A APO proposta buscou a aplicação de vários métodos, qualitativos e quantitativos, para a coleta de diferentes tipos de dados, permitindo contrabalançar os desvios/tendências. A avaliação foi centrada nos aspectos funcionais, comportamentais, tecno-construtivos e ambientais (conforto) dos usuários nos diferentes níveis: (i) Espaços externos (implantação do conjunto), (ii) análise do lote e (iii) espaços privados da casa (unidade). O conjunto de métodos e técnicas aplicados foram: Walkthrough, Pesquisa de Perfis Familiares, Questionários, Grupo Focal, Análise de uso e Análise Técnica[2] Apresentado em março de 2009, o programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal, tem como meta a construção de um milhão de moradias para famílias com renda de até dez salários mínimos. Além do déficit de habitação, o plano visa a combater os efeitos do desaquecimento da economia produzidos pela crise mundial.
[DOCENTES]
Profª Drª Simone Barbosa Villa – FAUeD – coordenadora
Profª Mª Albenise Laverde – FAUeD – orientadora
Profª Drª Patrícia Pimenta Azevedo Ribeiro – FAUeD – orientadora
Profª Mª Themis Lima Fernandes Martins – FAUeD – orientadora
Rita de Cássia Pereira Saramago – FAUeD – orientadora
Profª Ms. Juliano Cecílio Oliveira
– orientador
[DISCENTES]
Aline Cristine Shiaku – Graduando FAUeD/UFU
Diego Silveira Dias – Graduando FAUeD/UFU
Diogo Alexandre Nunes Silva –  Graduando FAUeD/UFU
Fabrício Garcez Caetano – Graduando FAUeD/UFU 
Giovanna Augusto Merli – Graduando FAUeD/UFU
Laíta Alves Silva – Graduando FAUeD/UFU
Lara Freire Borges – Graduando FAUeD/UFU
Lucianne Casasanta Garcia– Graduando FAUeD/UFU
Luiz Gustavo O. de Carvalho – Graduando FAUeD/UFU 
Mariana Mundim Melo – Graduanda FAUeD/UFU
Nathália Barros Abate Rotelli – Graduando FAUeD/UFU
Paula Barcelos Vasconcellos – Graduando FAUeD/UFU
Ricardo Souza Silva – Graduando FAUeD/UFU
Tamires Nunes de Alcântara Nicolau – Graduando FAUeD/UFU
Thiago – Graduando FAUeD/UFU

Anúncios